Waves for Water, a missão do acesso à água potável

Perto do dia Mundial da Água paramos para falar sobre esse importante bem de consumo: a água potável
Por Maíra Pabst Colaborou Gabriel Reis

A missão deles é simples: levar água potável para qualquer pessoa que precise. O Waves for Water é um projeto idealizado por Jon Rose, que faz exatamente o que a missão dele propõe. “A ideia de levar água limpa para as pessoas me inspirou porque me pareceu possível”, pensou Jon há sete anos, quando decidiu que precisava fazer algo pelo mundo.

Transitando da carreira de surfista profissional para uma nova carreira, Jon achou seu propósito. Era uma maneira também de continuas frequentando os países que um dia visitará como surfista e ainda fazer um bem maior. Hoje o projeto é bem grande. Já estiverem em mais de 20 países e levaram acesso a água potável a mais de 10 milhões de pessoas.

No próximo dia 22 (quarta-feira), dia Internacional da Água, a Red Bull TV lança o documentário Waves for Water. Durante a passagem de Jon Rose pelo Brasil, quando palestrou no Red Bull Amaphiko, trocamos uma ideia com Jon para saber um pouco mais sobre ele, o que inspirou sua empreitada. Veja a entrevista e vá se animando para o lançamento do doc, que estará disponível neste link!

Quando você se deu conta que queria fazer algo para ajudar pessoas?

Foi a sete anos atrás. Não achava que iria ser o meu trabalho, mas pensei que poderia ser legal ter um projeto em andamento independente de qual seria o meu trabalho, já que eu estava mudando da carreira de surfista profissional para outra coisa. Alguma coisa que me conectasse com os lugares que eu amei visitar e que gostaria de continuar visitando uma ou mais vezes por ano, como a Indonésia, especificamente. E eu via muitas coisa que eles precisavam e achava interessante poder voltar para ajudar e surfar.

Jon Rose palestrando no Red Bull Amaphiko © Cortesia Waves for Water

Existe alguma relação em você ser surfista e ter escolhido trabalhar com água?

Sabe, na verdade, eu não vejo uma relação direta. Não ponho essas coisas juntas. Mas em um nível cósmico, sim. Se você realmente quiser olhar por esse lado, sim, tudo é água. Mas para ser honesto, o surf foi um capítulo incrível da minha vida e sempre irá move-la, e é parte do que eu sou. Por causa dele tenho essa relação profunda com o oceano e com a natureza, e provavelmente me sinta mais confortável dentro d’água do que em terra. Mas isso não teve uma relação direta no que eu faço hoje. A ideia de levar água limpa para as pessoas me inspirou porque me pareceu possível. Câncer ou outras coisas ainda não tem respostas, mas ‘água’? Água sim, é possível. Não sendo nenhum especialista nisso, eu sabia que não era impossível.

O que você acha do Red Bull Amaphiko e como você vê a oportunidade que esses projetos estão tendo?

Eu acho legal. Estamos tendo uma relação próxima com a Red Bull agora, e acho muito legal eles estar criando essa plataforma pra que novos projetos avancem. Principalmente para que essas pessoas se mantenham inspiradas e informadas. Porque acho que quando você está informado, você para a ser responsável. Mas essa galera já é responsável, eles já estão nessa onda por conta dos projetos sociais que estão tocando. Mas acho que ter uma plataforma para conhecer pessoas como eles e ver outras pessoas que atingiram grandes objetivos, dá a cada um deles bastante esperança. Porque as vezes você pensa, ‘o que eu vou fazer, sou apenas uma pessoa, estou sozinho’... Isso é o que eu acho que é muito interessante do Amaphiko. Unir muita gente fazendo várias coisas diferentes. Isso te deixa com a sensação, te ensina que é possível. Isso é a melhor coisa que você pode dar a alguém, esperança.

© Cortesia Waves for Water

Você sabia que a onda de Regência foi destruída recentemente no maior acidente ambiental do país. Como você se sente como surfista?

É uma tragédia. Por exemplo, no Japão eu Fukushima também tinha uma onda incrível bem na frente de onde houve o desastre nuclear. Perder picos de surf parecem ser pequenas coisas quando você olha todo o cenário. Porque a realidade é que é uma catástrofe ambiental massiva. O meio ambiente não será o mesmo um centenas de anos. O nível de toxidade é tão alto, tanto no Japão como em Mariana. É algo que é muito difícil da gente encarar, porque é terrível. Deveria ser um grande aviso para a gente. Deveria ser. Nós não deveríamos poder implementar alguma coisa que não somos capaz de controlar se algo der errado. Isso deveria ser proibido. Sim, energia nuclear gera muita energia, mas e se isso der errado? Ninguém poderá controlar, não existe nenhuma solução? Então não, não deveríamos fazer isso. A mesma coisa com as regulamentações de mineração. Isso deveria ser um grande aviso para acordamos!

Como você se sente ao ver que o Brasil é um muito rico em recursos quando se fala em água, mas grande parte da população não tem acesso a água limpa para beber?

É um paradoxo, com certeza. E isso acontece no mundo inteiro. A África é riquíssima em recursos, mas as pessoas não tem acesso. Infraestrutura custa dinheiro. É normal que países sofram de alguma falta de infraestrutura, seja na saúde, saneamento, educação, ou água. Acho que é um problema muito profundo e enraizado. E não é tão simples: ‘ah precisamos de dinheiro para a infraestrutura’. Também temos muito dinheiro no Brasil. Mas é tudo questão de apropriação. Mas acho que o que está no topo dos problemas é a corrupção. E a primeira coisa para avançar na infraestrutura é ter certeza de que o dinheiro irá ser usado de maneira correta. E claro, não é o que tem acontecido. Então isso cria esse paradoxo absurdo.

Filtros do Waves for Water © Cortesia Waves for Water

ONDE ASSISTIR

O documentário Waves for Water pode ser acessado com exclusividade na Red Bull TV a partir de 22/03 pelo link https://www.redbull.tv/film/AP-1PUHWT3F91W11/waves- for-water ou pelo aplicativo Red Bull TV, disponível nas TVs Samsung, Sony BRAVIA, aparelhos Blu- Ray, PlayStation®4 (PS4™), PlayStation®3 (PS3™) e Apple TV. O aplicativo também pode ser baixado nos sistemas operacionais Android, iOS e Windows Phone. O download também está disponível nos seguintes dispositivos: Amazon Fire TV, Kindle Fire, Nexus,Roku e Xbox 360.

read more about
Next Story