Vê este windsurfer a descer uma montanha com neve

Para Levi Siver, há mais em comum entre as montanhas e os oceanos do que imaginas
Por Go Takagishi (Adaptado pela Equipa redbull.pt)


Windsurf numa montanha cheia de neve. Havia apenas um homem preparado e com vontade de levar a cabo este desafio - Levi Siver. Siver é windsurfer profissional, conhecido por apanhar as maiores ondas do mundo, usando o vento a seu favor.

Como deves calcular, windsurfing é exatamente o que estás a pensar. É um desporto, no qual o surfista tem como equipamento uma prancha com uma vela e usa a força do vento para se mover sobre a água. Porque é que alguém haveria de fazê-lo numa montanha cheia de neve? Claro que esta foi a primeira tentativa de sempre.

Big wave (e big mountain) windsurfer, Levi Siver
Big wave (e big mountain) windsurfer, Levi Siver © Jason Halayko/Red Bull Content Pool

 

A ideia para este projeto surgiu da visão de podermos transferir os elementos do windsurf para uma montanha e criar a mesma experiência e sensação que um surfista tem na água. Estou sempre a tentar encontrar formas de me colocar à prova, mas este projeto despertou a minha curiosidade. O que aconteceria se tivesse de combinar snowboard com windsurf? Apesar de tudo, sempre adorei ambos os desportos.

Levi Siver

Passaram-se cinco anos desde a concepção da ideia de Levi, mas finalmente chegou o dia em que a visão passou à realidade. As filmagens demoraram cerca de 20 dias. Levando em linha de conta o planeamento e período de preparação para as filmagens, a produção demorou oito meses. No final de contas, seria possível fazer windsurf numa montanha coberta de neve? A resposta é: SIM!

Levi Siver
Levi Siver © Jason Halayko/Red Bull Content Pool


"Queria ser a primeira pessoa a tentar fazer windsurf alpino numa prancha com quilhas. Usar uma tábua de snowboard seria ótimo em termos de performance, mas queria realmente recriar a sensação única de fazer windsurf e, para fazê-lo, teria de ser com uma prancha que fosse um mix das duas (snowboard e windsurf)", conta Levi. Como podes ver, este desafio foi bem sucedido por causa do esforço de pesquisa levado a cabo pelo Levi no desenvolvimento da prancha. 

Keith Taboul e Levi Siver trabalham na prancha
Keith Taboul e Levi Siver trabalham na prancha © Karim Iliya/Red Bull Content Pool


"A prancha tem o rail e as quilhas necessárias para surfar e não há ligações. Tem straps para fixar os pés e tem de se utilizar botas de surf para que no drop se tenha a mesma sensação do que no windsurf. Mas, quando fazes o drop, o que vês é uma montanha, em vez do oceano. É uma sensação emocionante que nem consigo descrever".

Vê o que aconteceu nos bastidores


"As rajadas de vento mais fortes que apanhei tinham cerca de 15km/h," Levi estava muito satisfeito e sorridente na entrevista, mas as condições das filmagens foram agressivas. Os dias começavam com uma caminhada de duas horas para subir a montanha, onde as temperaturas rondavam os -13ºC. Após a subida, as filmagens duravam sete horas por dia. Por vezes, Levi e a sua equipa tinham de aguardar num abrigo durante mais de três horas para garantir que apanhavam condições de vento perfeitas.

O local das filmagens foi na Rishiri Island, em Hokkaido. É de facto surpreendente que esta extraordinária proeza tenha tido lugar numa ilha fora da costa da ponta mais a norte do Japão, mas este terreno com características muito particulares, onde consegues avistar o oceano quando desces a montanha, foi perfeito para este projeto.


"O que as montanhas e o oceano têm em comum é a sua imprevisibilidade. O cenário é verdadeiramente incrível, mas também extremamente perigoso e as condições mudam de dia para dia. Todos os dias é uma aventura nova. Mas, por outro lado, como cada descida é um desafio diferente, há este factor que cria uma capacidade enorme de superação e conquista dos próprios medos e receios, o que te leva a crescer como pessoa."

read more about
Next Story