Quem brilhou no Relegations da Moche LPLOL 2017?

Com o caster Nelson Silva, analisamos o torneio que definiu a 1ª e 2ª divisões da Moche LPLOL 2017.
Moche LPLOL cover
Moche LPLOL cover © LPOL
Por equipa redbull.pt

Entre os dias 13 e 15 deste mês jogou-se o Relegations, torneio que serviu para qualificar as últimas 3 equipas que vão integrar a Primeira Divisão da Moche LPLOL 2017 e, ao mesmo tempo, determinar as que vão disputar a Segunda Divisão.

Analisamos o LoL jogado ao longo destes 3 dias e convidamos o Nelson Silva, caster que acompanhou de perto o torneio, para partilhar connosco as suas impressões sobre o Relegations e o que podemos esperar destas equipas na Moche LPLOL 2017.

Na luta pela manutenção na Primeira Divisão estiveram a veterana Electronik Generation e a Team Razer, equipa da academia FTW eSports. A elas juntaram-se as insígnias chegados do Infernal Qualifier - Exotic Gaming, Hexagone eSports e Oppai - e do Ocean Qualifier - Y eSports, Team OMEN by HP e Estoril Praia eSports.

Se nunca ouviste falar nelas, não te assustes; o Nelson explica: “Regra geral as equipas são amadoras e estão a apostar na competição pela primeira vez. Há excepções, como os Hexagone os Exotic, nomes consagrados dos eSports, e até mesmo a Team OMEN by HP, composta de jogadores veteranos que se juntam mais uma vez de forma a participarem na liga; portanto nunca se sabe o que se pode esperar em termos qualitativos. Exemplo disso foi no primeiro qualifier em que tivemos os Oppai que conseguiram eliminar efectivamente a Team Omen by HP.”

Com algumas luzes sobre os concorrentes em jogo, vamos analisar cada um dos dias de prova:

Dia 1: Jogos sem espinhas e com poucas surpresas

Eram 4 os jogos agendados para o primeiro dia de Relegations e o torneio arrancava com um embate que se avizinhava tudo menos equilibrado. Depois de terem feito uma época de 2016 francamente desapontante, os veteranos Electronik Generation, estavam aqui quase “ao engano” e tinham pela frente os novatos do Estoril Praia eSports, equipa do histórico clube de futebol criada apenas no passado mês de Dezembro. A experiência falou mais alto e os Electronik Generation não tiveram grandes dificuldades em afastar o Estoril Praia para a losers bracket.

No segundo jogo, os Oppai ainda deram alguma luta aos Hexagone (equipa consagrada nos eSports, mas a dar os primeiros passos no LoL nacional), mas o jogo acabou por virar a favor dos últimos.
De seguida, o Rift recebeu o primeiro de dois confrontos entre as duas equipas vencedoras dos qualifiers: os Exotic e os Y eSports. Foram jogos equilibrados onde os primeiros levaram a melhor, mas os Y eSports ainda teriam uma oportunidade para se desforrarem até ao final do torneio.

O último jogo do primeiro dia foi uma autêntica batalha das marcas de gaming, opondo a Team Razer à Team OMEN by HP, um colectivo de vários veteranos do LOL. A Team OMEN que tanto queria ficar com a vaga que a equipa da academia FTW ocupou no ano passado que a enviou para a losers bracket sem grandes dificuldades.

Dia 2: Veteranos sobem, veteranos descem

O país parava na Sexta-feira Santa, mas o Relegations continuava; afinal de contas, era hoje que se iria decidir o primeiro lugar na Primeira Divisão da Moche LPLOL 2017. Sem grandes surpresas, os Electronik Generation confirmaram o favoritismo contra os Hexagone eSports e eliminaram-nos sem quaisquer dificuldades. Estava qualificada a primeira equipa para a Primeira Divisão.

O Nelson é incapaz de esconder o entusiasmo com este comeback: “Uau, os Electronik Generation... Quem os viu e quem os vê. Os EGN foram a primeira equipa a abraçar a regra dos jogadores internacionais, inscrevendo dois jogadores checos e um alemão.” No entanto, relembra que nem tudo foi um mar de rosas para os Electronik Generation: “Na split passada, a equipa foi amaldiçoada com maus jogos, decisões questionáveis e problemas internos que a deixou numa posição bastante precária no fundo da tabela e que, consequentemente, a trouxe aqui. Isto foi provavelmente a melhor coisa que lhes aconteceu, obrigando-os a ser criativos e formatar a dinâmica da equipa.”

Nelson acredita que o futuro da equipa é risonho: “Os EGN foram absolutamente dominantes ao longo do Relegations e com um jogo completamente superior ao das demais equipas. Não só acho que os EGN estão de volta para competir pelo cume, como acho que demonstraram qualidade para se manterem lá.”

EGN
EGN © Electronik Generation

Entretanto, na losers bracket, os Estoril Praia eSports eliminavam os Oppai e, desta forma, determinavam a primeira equipa que iria disputar a Segunda Divisão.

Por fim, os Y eSports e a Team Razer debateram-se num jogo bastante renhido onde os primeiros acabaram por levar a melhor. A Team Razer descia da Primeira para a Segunda Divisão da LPLOL, uma autêntica surpresa uma vez que, de uma forma ou de outra, a equipa era presença regular na LPLOL há alguns Splits seguidos.

Dia 3: Battlefield losers bracket

Em véspera de Páscoa, faltava apurar as duas últimas equipas que integrariam a Primeira Divisão da Moche LPLOL 2017.
No primeiro jogo da tarde, os Exotic Gaming lutaram com a Team OMEN by HP por um dos lugares disponíveis e foram necessários 3 jogos para decidir quem ficaria com ele. No primeiro, a Team OMEN mostrou-se superior - alcançou mais objetivos e acabou por vencer. Já no segundo jogo, passou-se precisamente o oposto, com os Exotic a empatarem a série. A Team OMEN acordou a tempo de disputar o terceiro jogo e conseguiu despachar os Exotic sem quaisquer dificuldades, relegando-os para a losers bracket e garantindo um lugar na Primeira Divisão da LPLOL 2017.

O comboio da Primeira Divisão estava prestes a sair da estação e já só havia um bilhete disponível.

O campo de batalha era, agora, a losers bracket, onde 4 equipas guerreavam para alcançar a Primeira Divisão. Com os Exotic a levarem a melhor sobre o Estoril Praia eSports e os Y eSports a eliminaram os Hexagone eSports, quis o destino que o jogo que determinaria tudo fosse uma repetição do que vimos no primeiro dia de Relegations. Embora os jogos tenham sido mais renhidos, os Y eSports sentiram novamente o sabor amargo da derrota enquanto os Exotic faziam a festa e partiam para a Primeira Divisão da Moche LPLOL 2017.

Para o Nelson Silva, o resultado acabou por ser agridoce. “Foi uma surpresa a Y esports e Hexagone eSports não terem conseguido qualificar-se para a Primeira Divisão da Moche LPLOL 2017. Dado o estatuto veterano dos jogadores que compunham os lineups misturados com talento novo, seria agradável tê-los no palco principal.”, confessa. “Felizmente, o lugar está bem entregue a Team Omen By HP e aos Exotic Gaming que, apesar de alguma ferrugem, mostraram ter a estaleca necessária para competir ao mais alto nível.”

Desta forma, ficaram apuradas:

Para a Moche LPLOL 2017:

  • Electronik Generation
  • Team OMEN by HP
  • Exotic Gaming

Para a Segunda Divisão da LPLOL:

  • Oppai
  • Team Razer
  • Estorial Praia eSports
  • Hexagone eSports
  • Y eSports
  • (vencedor do jogo entre os quartos classificados do Infernal e Ocean Qualifier)
Relegations quadro
Relegations quadro © LPLOL

Os mais atentos certamente já estabeleceram um paralelo entre os Exotic Gaming e a Team OMEN by HP e o que vimos no ano passado com duas equipas. “Na Split passada, tanto a StreakNation quanto a Doxa entraram com um nível de jogo relativamente amador, com equipas formadas por jogadores com pouca ou nenhuma experiência competitiva.”, conta-nos o Nelson. “À medida que as jornadas se foram desenrolando, foram limando arestas e calejando alguns pontos fulcrais, tendo os Doxa, inclusivamente, participado nos playoffs da segunda Split e, consequentemente, na Gauntlet final da Comicon.”
Nelson acredita que a história se poderá repetir em 2017. “Não espero menos dos Exotic e dos OMEN, especialmente tendo em conta que ambas contam com jogadores experientes e que já provaram competição a sério pelo que será de esperar vê-los num patamar superior ao da Doxa e StreakNation quando se lançaram.”

Em relação à segunda divisão, o Nelson Silva prevê, sobretudo, equilíbrio. “Temos equipas como os Y esports e os Hexagone, que mostraram um modicum de qualidade para competir até na Primeira Divisão, e outras amadoras como os Oppai que já surpreenderam no passado.” No entanto, deixa uma ressalva: “O único senão que vejo é que, como não haverá competição directa com as equipas de topo da Primeira Divisão, não haverá tanto potencial de evolução devido à necessidade de adaptação, como aconteceu com a Doxa e a StreakNation durante a Split passada.”

A jornada inaugural da Moche LPLOL 2017 terá lugar no dia 29 de Abril, num evento ao vivo no Fórum Picoas, em Lisboa. A entrada é gratuita! Conhece aqui tudo sobre o evento e reserva o teu bilhete.

© LPLOL

Até lá, mantém-te atento à cobertura da Red Bull e segue-nos no Twitter e no Facebook.

Next Story