Ruben Faria: duas posições conquistadas

O piloto português está à porta do top 5 na classificação geral.
Ruben Faria nas planícies do sal.
Ruben Faria nas planícies do sal © Marcelo Maragni/Red Bull Content Pool
Por Hype Communications

O Dakar 2015 e os seus pilotos viveram hoje um dos dias mais exigentes, duros e demolidores na história da prova. Após uma primeira metade de especial maratona que levou ontem a caravana desde Iquique no Chile até Uyuni na Bolivia, hoje foi o regresso à cidade chilena num dia marcado por imensas dificuldades que levaram aos limites a resistência de pilotos e máquinas.

 

Com uma partida em linha no Salar de Uyuni as baixas temperaturas e a água acumulada naquela que é a maior planície de sal do planeta prometia causar dificuldades a todos os pilotos. Condições climatéricas que obrigaram a organização a encurtar a especial do dia, mas sem retirar ao percurso os primeiros quilómetros, feitos em velocidade elevada quase a deslizar na pelicula de água que cobria esta manhã os quase 100 quilómetros do referido Salar de Uyni. Depois do primeiro e frio embate os pilotos viram a especial ser mais curta até à fronteira da Bolivia com o Chile onde se iniciou uma longa ligação rumo à derradeira fase do dia já perto de Iquique e onde os pilotos tiveram que descer a mitica duna rumo ás onda do Pacifico.

 

No final da primeira secção o piloto da KTM ocupava a 14ª posição junto ao seu colega de equipa, Marc Coma. Mas depois de uma imensa ligação com cerca de cinco horas de duração Ruben Faria enfrentou os últimos 40 quilómetros do dia, já no Chile, de forma decisiva para ganhar quatro lugares na classificação final do dia e chegar de novo ao ‘bivouac’ no décimo posto, subindo ao sexto lugar da classificação geral da prova.

 

Foi um dia muito duro. Começámos com bastante frio no Salar de Uyuni e fechámos a jornada com calor no Chile num dia de verdadeiros contrastes. Após o arranque percebi de imediato que a muita água acumulada no Salar podia ser prejudicial para a moto e quando fizemos a primeira paragem a preocupação foi tentar descolar a pasta de sal que estava a tapar o radiador da moto e muitos dos seus componentes. Isso foi feito e segui com o meu ritmo até ao final da primeira secção. Depois na fase final ataquei um pouco mais e consegui ganhar posições para fechar o dia em décimo. Estou muito satisfeito por estar de volta a Iquique especialmente porque ultrapassei uma etapa em que andámos em altitudes elevadas, a minha moto não teve problemas e consegui mesmo subir duas posições na geral. Hoje foi um dia mesmo muito duro e mais um grande teste que consegui suplantar, mas o Dakar ainda não acabou.

 

Depois de um dia tão intenso, que fechou a primeira etapa maratona da edição 2015 do Dakar, Ruben Faria enfrenta amanhã os 451 quilómetros da especial que o levará até Calama, especial marcada na sua fase inicial por meia centena de quilómetros de dunas, para de seguida o percurso se tornar novamente mais duro e a obrigar os pilotos a especial atenção com as pedras e zonas mais sinuosas.

read more about
Next Story