Desert Wings 2016

Rivalidades explosivas do WRC renovadas no Dakar

Este pequeno grupo de pilotos do Dakar têm contas por ajustar nas areias da América do Sul
Loeb e Sainz são novamente colegas de equipa
Loeb e Sainz são novamente colegas de equipa © Marcelo Maragni/Red Bull Content Pool
Por Anthony Peacock

Durante mais de uma década, Sébastien Loeb dominou as competições de rali. Basicamente, ninguém lhe conseguia vencer. Ele venceu sensivelmente metade dos ralis em que participou, os media franceses até o apelidaram de "extra-terrestre" - com base nas suas habilidades.

No entanto, no Dakar, o novo piloto da Peugeot é o estreante no recinto predileto de Nasser Al-Attiyah, antigo companheiro de equipa na Citroën no WRC. Voltando ao tempos em que ambos competiam juntos no WRC, em 2012, os papeis estavam invertidos. Nessa temporada, Loeb venceu nove ralis (incluindo uma sequência de cinco vitórias consecutivas) tornando-se campeão do mundo, enquanto o melhor resultado de Al-Attiyah foi um um quarto lugar em Portugal.

Nasser Al-Attiyah é o campeão em título do Dakar
Nasser Al-Attiyah é o campeão em título do Dakar © Flavien Duhamel/Red Bull Content Pool

Quando falamos no Dakar, Al-Attiyah tem dois títulos e muito mais vitórias em etapas, considerando que Loeb tem precisamente zero. O co-piloto do francês, Daniel Elena (apesar de ter sido o parceiro de Loeb nos 9 títulos de WRC) tem ainda menos experiência, pois tudo o que aprendeu acerca da complexa arte que é a navegação numa competição como o Dakar foi adquirida em alguns testes nas últimas semanas.

"Estou um pouco preocupado em ficar perdido no deserto com o Daniel", afirma Loeb. "Obviamente que ele não era a escolha mais lógica para co-piloto: talvez fizesse mais sentido escolher alguém mais experiente. Mas nós passámos por muitos momentos juntos, portanto isto é especial para ambos".

Loeb não é o único piloto de WRC que está a dar os primeiros passos em Ralis Cross-Country. O finlandês Mikko Hirvonen também se irá estrear no Dakar, neste caso ao volante de um MINI semelhante ao de Nasser Al-Attiyah. Junto a Hirvonen está o experiente Michel Perin, portanto o finlandês tenta também virar os resultados contra Loeb - que o venceu de forma consistente durante as épocas em que competiram juntos no WRC.

O mais próximo que Hirvonen conseguiu chegar a Loeb foi em 2009, quando conseguiu uma forte sequência de resultados o levou à segunda posição na geral, a apenas um ponto de Loeb. Agora espera uma vingança na América do Sul.

"Seis meses atrás não sabia muito acerca do Dakar", diz Hirvonen. "Sabia que era mais à base da navegação do que condução pura e dura, mas agora tenho vários testes feitos e mal posso esperar para começar e dar o meu melhor".

Loeb e Hirvonen partilharam inúmeros pódios de WRC
Loeb e Hirvonen partilharam inúmeros pódios de WRC © Gepa Pictures/McKlein/Red Bull Content Pool

O último concorrente de WRC a juntar-se aos pilotos do Dakar é Martin Prokop, que foi o melhor piloto de 2015 no WRC a correr como privado, terminando no 11º lugar na geral, sem o benefício de ter uma equipa de construtores a suportá-lo. O piloto checo vai participar no Dakar pela primeira vez, irá estar ao volante de um Toyota Hilux e a sua consistência pode ajudá-lo a chegar ao final.

No entanto, o mais forte ex-piloto do WRC no evento será Carlos Sainz: a pilotar um Peugeot. O duas vezes vencedor do WRC, conhecido como "El Matador", dominou a modalidade durante anos até Loeb aparecer. Mas uma vitória no Dakar em 2010 provou que o espanhol não perdeu a sua velocidade e destreza.

Sainz foi também um dos principais responsáveis pelo desenvolvimento do Peugeot 2008 DKR16.

Este momento é a altura certa para renovar estas antigas rivalidades e marcar novos resultados.

read more about
Next Story