Como são os treinos de MX de Marvin Musquin?

Neste vídeo podes ver como Marvin Musquin faz a transição do Supercross para o Motocross.
Por Aaron Hansel (Adaptado pela Equipa redbull.pt)

No que toca à competição de cross em motos, o Supercross é bastante diferente do Motocross: as corridas de Motocross são mais longas e exigem mais da moto e do piloto. A abordagem física e técnica em cada uma das disciplinas também é distinta.

Fica atento ao vídeo abaixo, onde o piloto francês Marvin Musquin - atual 3º classificado do AMA Supercross - revela a sua análise aos desafios da temporada outdoor da AMA.

A abordagem técnica

Porque o motocross envolve velocidades extremamente elevadas (por vezes acima dos 110 km/h) em pistas de dificuldade acentuada, é importante que o equipamento que compõe a moto seja mais suave, para permitir movimentos fluídos que absorvam as curvas mais agressivas e os enormes saltos.

No entanto, pode ser desencorajador para os pilotos saberem que vão trocar para uma moto muito mais solta e suave do que a que pilotaram nos últimos cinco meses da temporada de Supercross. Imagina o que seria estares num sítio repleto de sol e, de repente, tentares dar o teu melhor dentro de uma cave escura! Para enfrentar este processo de adaptação, as equipas trabalham lentamente (por fases) com os pilotos, para alcançarem um enquadramento adequado para as competições de Motocross.

Facilitar o processo de transição de um piloto para o setup correto, nem sempre é garantia de sucesso. Num desporto onde a tecnologia evolui rapidamente, poucas coisas se mantêm de um ano para o outro. Equipamentos como o motor, a estrutura de suporte do motor, a suspensão ou o centro de gravidade mudam constantemente. Isto significa que as equipas não podem confiar a 100% nos dados recolhidos no ano anterior. Têm de fazer sempre bastantes testes antes do início de cada época. Algumas equipas conseguem acertar ainda antes da primeira corrida, mas outras apenas conseguem entrar no ritmo certo no decorrer da temporada.

 

Musquin no Red Bull Give Me Five
Musquin no Red Bull Give Me Five © Alberto Lessmann/Red Bull Content Pool

A abordagem física

Um dos maiores obstáculos que um piloto enfrenta no Motocross é o aumento de tempo que passa na pista. As corridas de Supercross duram, normalmente, 20 minutos (antes de 2017 eram 20 voltas) mais uma volta adicional, enquanto que as corridas de Motocross têm a duração de 30 minutos mais duas voltas adicionais, e fazem duas corridas no mesmo dia.

As pistas são, invariavelmente, mais duras e as temperaturas muito superiores (muitas corridas decorrem com temperaturas entre os 32ºC e os 38ºC), o que implica um esforço físico adicional ao que o próprio motocross já exige. Para gerir estes desafios, os pilotos têm de estar habituados a manter uma frequência cardíaca de cerca de 170 BPMs durante longos períodos de tempo. Aldon Baker, treinador de Marvin Musquin, diz que o seu pupilo treina muito a sua capacidade cardiovascular a pilotar - Musquin faz cerca de 1000 voltas por mês!

O treino de cardio não é a única coisa necessária para um piloto ser competitivo. O descanso e recuperação adequados, complementados por uma alimentação saudável e treino específico de força, são essenciais para uma boa performance. Apesar de tudo isto, o mais importante é conseguir o equilíbrio entre todos estes fatores essenciais. Se as peças do puzzle não encaixarem, os títulos não aparecem.

read more about
Next Story