O Rali da Suécia está a chegar à Red Bull TV

Durante mais de meio século, apenas os pilotos escandinavos conseguiram vencer a prova.
Sébastien enfrenta as estradas congeladas da Suécia
Sébastien enfrenta as estradas congeladas © Jaanus Ree/Red Bull Content Pool
Por Tiago Mendonça

Estradas cobertas de neve. Temperaturas bem abaixo de zero. Florestas congeladas ao longo de todo o percurso. Estamos a falar de Karlstad, uma cidade a 300 Km de Estocolmo. É aqui que os melhores pilotos de off-road do mundo se encontram para um desafio extremo: o Rali da Suécia.

Esta é a única etapa da prova disputada sob condições climáticas tão severas.

Disputado desde 1950, os capítulos deste rali têm sido dominados pelos pilotos locais. Com representantes da Suécia, Finlândia e Noruega a vencerem 60 das 64 edições.

 

O sueco Stig Blomqvist é o recordista, ao vencer 7 vezes a prova.
O sueco Stig Blomqvist venceu 7 vezes a prova

Ou seja, dá para contar pelos dedos (apenas de uma mão) a quantidade de vezes em que foram superados neste território.

O piloto francês Sébastien Ogier conseguiu a proeza de vencer três vezes o Rali da Suécia. Aconteceu nas edições de 2013, 2015 e 2016. Entrando assim na restrita lista de campeões da prova. “É o único rali na neve e a paisagem é deslumbrante, o que faz dele um dos meus favoritos”, explica Ogier.

Antes de Ogier, foi o seu compatriota Sébastien Loeb quem interrompeu o histórico domínio nórdico – ao vencer a edição de 2004.

Loeb: o primeiro piloto estrangeiro a vencer na Suécia
Loeb: o primeiro estrangeiro a vencer na Suécia
Ogier venceu três vezes o Rali da Suécia
Ogier venceu três vezes a prova © Volkswagen Motorsports/Red Bull Content Pool

Este ano, o Rali da Suécia é a segunda etapa do WRC. Ao ser o único rali disputado no gelo, exige técnicas de condução totalmente diferentes daquelas que serão usadas durante o resto do campeonato. Tem de se travar muito mais cedo e a sensação de condução é a de que o carro está a flutuar.

Vantagem para quem, como os escandinavos, está habituado a conduzir nestas condições.

Os pneus são especiais, claro. Cada pneu tem mais de 380 pregos de metal, de forma a garantir um desempenho mínimo e um maior controlo na neve. Estes pregos têm 20 milímetros e pesam 4 gramas cada. Mas como podes ver na foto abaixo, apenas 7 milímetros são salientes. Os restantes ficam no interior do pneu, garantindo a estrutura e resistência necessárias para a adesão a este tipo de piso.

Os pregos de metal que oferecem maior aderência ao terreno congelado da prova
Os pregos de metal que oferecem maior aderência

A organização do rali preparou mais alguns desafios para a edição de 2017. Mais de metade dos especiais (nome dado aos troços cronometrados da prova) vão sofrer alterações em relação à edição do ano passado.

Outro dos motivos que tornam o Rali da Suécia tão especial é o facto da prova passar pela Noruega. Quase todos os especiais desta sexta-feira, dia 10 de fevereiro, vão acontecer do outro lado da fronteira. Apesar da mudança de país, a paisagem branca e as florestas cobertas de neve mantêm-se durante toda a prova.

Com a temperatura ambiente a poder chegar aos -25ºC.

O melhor de tudo? É que tu podes acompanhar todas as emoções deste rali, a partir do quentinho da tua casa.

De 10 a 12 de fevereiro, a partir das 21h, não percas a cobertura na Red Bull TV - com notícias, entrevistas e uma visão única dos bastidores daquela que é uma das mais emblemáticas etapas de inverno da prova.

read more about
Next Story