Júlio César

6 conselhos infalíveis para ser um goleiro, por Júlio César

© Divulgação / Red Bull Brasil

No Dia do Goleiro, falamos com um craque no ofício, que mostra o caminho das pedras para vingar embaixo dos três paus

Muitos acham que goleiro é uma posição para "loucos", mas na verdade ser goleiro é quase uma dádiva. Afinal, mais da metade da população mundial que um dia já sonhou ser jogador de futebol escolheria entre ser meia ou atacante.

A posição de goleiro é tão especial, diferenciada, que o dia 26 de abril é dedicada a ela.

Como forma de homenagem a esses abnegados da bola, batemos um papo com o campeão brasileiro, sul-americano e mundial Júlio César, do Red Bull Brasil, que dá seis conselhos preciosos para você que ainda tem dúvidas sobre ser ou não um goleiro.

Amor

"O mais importante para quem quer ser goleiro é amar aquilo que você faz, amar jogar no gol. Essa vocação já nasce com cada um. Se quiser ser um goleiro é preciso ter esse amor pela profissão"

Persistência

"Para ser um goleiro profissional é necessário enfrentar muitas batalhas, pessoas que vão dizer não em momentos ruins da sua carreira e você vai ter que persistir diante dessas dificuldades. Então persista e não desista. Lá na frente vai valer muito a pena"

Personalidade

"Todo goleiro tem que ter a personalidade forte, deixar às vezes de ouvir as críticas e focar naquilo que você tem que fazer. A personalidade é um ponto-chave para que um goleiro tenha sucesso"

Júlio César
Júlio César

Paciência

"É uma posição que exige muita paciência. Só joga um. Vai ficar chateado mas tem que seguir treinando porque seu momento pode chegar, e você terá que agarrar. Seja paciente no momento da dificuldade porque logo, logo a recompensa chega"

Atitude

"Um goleiro sem atitude não consegue jogar. Atitude de tomar decisões no momento certo; de treinar, de se dedicar, de batalhar. Isso é pra vida de um modo geral, mas pra posição de goleiro é fundamental. Tenha atitude, vá em busca daquilo que você acredita"

Bônus

"Claro que é bom pegar um pênalti e se consagrar, mas o que eu mais gosto é de ouvir o 'Uh!' da torcida adversária, saber que eu evitei um gol. É um dos maiores prêmios que tenho. Dinheiro nenhum no mundo paga isso"