Henrique Avancini: Nové Mesto 2020
© Bartek Wolinski / Red Bull Content Pool
MTB

Henrique Avancini: o melhor do mundo quer mais

Temporada inclui o sonho dourado para o número 1 do ranking
Escrito por Rodrigo Borges
Atualizado em
Parte desta história

Copa do Mundo de Mountain Bike

Henrique Avancini

BrasilBrasil

Until 18

2 Temporadas · 15 episódios
O ano de 2020 foi inesquecível pro Henrique Avancini. Apesar das dificuldades impostas com o cancelamento de vários eventos, ele conseguiu fechar a temporada como o melhor atleta da Copa do Mundo de Mountain Bike, venceu pela primeira vez uma corrida de cross country (XCO) e terminou como número 1 do ranking mundial. Mas agora começou tudo de novo, numa temporada mais desafiadora.
Apesar das restrições ainda impostas pela pandemia, a temporada vai ser longa, a Copa do Mundo terá seis etapas e o ano ainda reserva o Campeonato Mundial e o sonho dourado de Tóquio. Neste papo rápido, o maior biker que o Brasil já teve fala sobre os desafios, a preparação e o que imagina que terá pela frente na temporada.
Copa do Mundo 2020: Henrique Avancini vence XCO em Nové Mesto
Copa do Mundo 2020: Henrique Avancini vence XCO em Nové Mesto
Você terminou 2020 na liderança do ranking mundial. Como foi o trabalho pra manter o nível pra um ano que inclui o sonho olímpico?
A transição de 2020 pra 2021 foi uma das mais desafiadoras da minha carreira. O ano passado foi intenso, e a temporada foi supercompacta, num período do ano em que está mais frio na Europa. Isso sugou muito mais do corpo e da energia mental. O planejamento pra este ano foi refeito algumas vezes, especialmente pelas restrições aos brasileiros [de entrada e saída em países]. Tive que me adaptar. Agora me vejo num bom caminho, talvez com algum atraso, mas estou em boa forma, tenho competido, já ganhei uma grande prova na Europa. As coisas estão se ajustando e todo o trabalho que eu fiz começa a ser testado e aperfeiçoado.
Seu treinamento tem como foco atingir o ápice do ano em Tóquio?
No mountain bike é muito difícil prever ápices de treinamento. Com certeza Tóquio é a prova em que eu emprego mais atenção, energia e empenho no treinamento. Tudo é otimizado pensando em Tóquio, mas fisicamente é muito difícil prever o pico de performance dentro da temporada. Obviamente, quero estar muito bem fisicamente pra Tóquio, mas existem outros detalhes no MTB que são muito importantes para entrega de performance. Então, precisamos nos manter muito atentos a toda essa complexidade da modalidade.
É possível prever ate onde ainda você pode chegar agora com muita experiência, conhecendo os "atalhos" do esporte?
A experiência contribui, ajuda a evitar alguns erros cometidos no passado. Tento não ser enganado pela experiência e achar que já sei o suficiente, até porque uma das grandes razões para eu chegar aonde cheguei foi buscar conhecimento, aprimoramento. É algo que eu tento manter o mais vivo dentro de mim. Sigo tentanto aperfeiçoar tudo o que eu faço na minha preparação para que eu sempre encontre uma versão ainda melhor de mim.
Tento não ser enganado pela experiência e achar que já sei o suficiente
Henrique Avancini
Olhando pra trás, existe algo que você faria diferente na sua trajetória, alguma decisão ou momento do qual se arrepende?
Tem muitas coisas na minha trajetória que eu faria diferente, mas não tenho arrependimentos. Alguns erros contribuíram muito para o meu crescimento, geraram coisas boas no futuro. Não mudaria nada, sou muito grato por tudo o que vivi. Tentei muitas coisas que não surtiram efeito, escolhas profissionais, coisas que poderiam ter sido muito mais bem elaboradas, pensadas, mas isso tudo faz parte do processo de crescimento. Ser um atleta e ganhar corridas é muito mais fácil e simples na teoria do que na prática.
Henrique Avancini durante as filmagens da série 'Until 18'
Henrique Avancini durante as filmagens da série 'Until 18'
Como você tem enfrentado os desafios impostos para um atleta de alto rendimento neste segundo ano de pandemia?
Vindo do Brasil, onde circula uma mutação do vírus, tem sido extremamente desafiador. Demorei muito mais do que o desejado pra começar a temporada 2021, deixei de fazer competições que eram importantes para mim. É estressante, principalmente pela alteração do planejamento e de você não conseguir dar sequência ao que programou. Em alguns momentos, têm sido até mais difícil que no ano passado, quando o calendário ficou suspenso e eu sabia que não competiria por algum tempo. Neste ano, entretanto, as adaptações foram mais recorrentes, as situações foram sendo alteradas mais vezes, então isso acabou cansando um pouco mais. Não deixa de ser uma forma de aprendizado. Passar por momentos de muito estresse, incerteza, quando superados, sempre trazem um amadurecimento que, se bem utilizado, vira vantagem, então acho que estou nessa fase de ter superado a parte ruim da temporada e de começar a transformar a desvantagem e vantagem.
Não tenho arrependimentos. Alguns erros contribuíram muito pro meu crescimento
Henrique Avancini
Que cenário você esperar encontrar na abertura da temporada da Copa do Mundo e quem são os novos atletas que podem brigar por vitórias?
A abertura da Copa do Mundo deste ano é um pouco diferente. Ano passado tivemos uma temporada muito compacta, intensa, com muitas competições em poucos dias. Todos os atletas se preparando muito para um único período. Agora, o ano volta a ser longo, com a ida a Tóquio no meio disso. No período das duas primeiras etapas da Copa do Mundo, alguns países, como França, Suíça e Inglaterra, ainda vão estar brigando nas seletivas olímpicas internas. Isso vai obviamente demandar que esse atletas precisem já estar com uma forma física muito boa. O ano começa com intensidade também por causa da preparação pros Jogos Olímpicos. Já deu pra perceber nas primeiras provas na Europa que o nível dos atletas não é normal de pré-temporada, está um pouco mais alto, e isso pode trazer algumas surpresas, com atletas não sustentando esse desempenho ao longo da temporada, ou tendo performances muito destacadas neste início do ano. O [Tom] Pidcock pode ser uma surpresa na ponta do pelotão. O [Mathieu] Van der Poel volta à Copa do Mundo este ano em preparação para os Jogos Olímpicos, e a gente tem toda uma geração em transição, que se vê tirando uma diferença pra um cara que era inalcançável, como o Nino [Schurter], que afirma ainda estar fisicamente no melhor nível, mas outros atletas aos poucos foram tirando essa diferença, o que traz um nível de confiança maior para todo mundo e a esperança de vencer os grandes eventos. (Colaborou: Thiago Barrella)

Copa do Mundo de MTB: ao vivo e em português

Para ver Henrique Avancini em ação, acompanhe ao vivo todas as etapas da Copa do Mundo de Mountain Bike. Transmissões ao vivo e em português na Red Bull TV, começando em Albstadt, na Alemanha, de 7 a 9 de maio.
+ Assista ao episódio da série Until 18: O Momento da Decisão, em que Henrique Avancini conta como decidiu tornar-se atleta e largar a faculdade de direito.
MTB · 7 min
Henrique Avancini
Baixe agora o app da Red Bull TV e tenha acesso a vídeos, filmes e séries!
Publicado em
Parte desta história

Copa do Mundo de Mountain Bike

Henrique Avancini

BrasilBrasil

Until 18

2 Temporadas · 15 episódios