Skate

Conheça a coleção de skate mais cara do mundo

© Sotheby's
A única coleção completa dos 20 anos de skates da Supreme tem 248 modelos e foi vendida por US$ 800 mil
Escrito por Maíra Pabst e Marc FontrodonaPublicado em
O inglês James Jebbia fundou a Supreme em 1994, com uma loja simples de skate, localizada na Lafayette Street, em Manhattan, Nova York. Começou como um ponto de encontro para jovens praticantes da cidade, onde eles podiam assistir a vídeos de skate. Além disso, vendia material de qualidade de várias marcas, entre as quais, a sua própria.
Siga a Red Bull nas redes sociais Instagram | Twitter | Facebook
No início, a Supreme era apenas uma marca de roupas, de pequenas tiragens - para evitar o excesso de estoque - inspiradas nos gostos de sua equipe: punk, reggae, hip hop, arte, fotografia, cinema, Boxe e a cultura underground de Nova York. Eles não venderam suas edições limitadas para um grande número de consumidores, gerando pouco a pouco um outro lucrativo mercado secundário, baseado no desejo pelos produtos inacessíveis.
Em 1998, vendo nos desenhos dos skates uma beleza e um poder que iam além do que é um skate como tal (um produto descartável), eles decidiram lançar o seu primeiro conjunto de dois skates completamente brancos com o seu Box Logo em vermelho e azul. Depois veio uma série de 4 com o Motion Logo inspirado no filme "Os Bons Companheiros", de Martin Scorsesse.

248 shapes de skate da Supreme

Pouco a pouco, a Supreme foi comercializando skates de edição limitada em colaboração com uma multidão de artistas como George Condo, Dan Colen, Marilyn Minter, KAWS, Jeff Koons, Damien Hirst, Richard Prince, Nate Lowman, Takashi Murakami e muitos outros. Eles os vendiam apenas em suas lojas físicas e depois através da loja online. De 1998 a 2018, um total de 248 skates diferentes. Entre esses, está um em homenagem à marca Louis Vuitton, que mais tarde forçou a retirar o produto do mercado em 2000. E também outra colaboração com a marca, esta sim autorizada, para a coleção outono-inverno de 2017.
Em 2008, um apaixonado colecionador de skate e arte chamado Ryan Fuller, de Los Angeles, começou a colecioná-los. Sendo difícil de encontrar várias peças, ele teve que contatar pessoas em todo o mundo para completar sua coleção: Austrália, África do Sul, Reino Unido e Japão.
Fuller diz que aqueles dos primeiros dez anos foram os mais difíceis de conseguir. Porque no começo eles eram usados ​​para o seu devido fim: o skate. Assim, obter skates não usados ​​ou arranhados era quase um milagre. Neste contexto, o mais difícil de encontrar foi o quinto shape do conjunto de cinco shapes da Supreme em colaboração com o artista Dan Colen 'Air Jordan', lançado em 2003. Ele teve quatro dos cinco por anos e chegou a pensar que esse quinto não existia. Um dia, enquanto estava de férias no Havaí, escreveu um e-mail para um cara com quem fazia negócios há anos, que havia encontrado um desses em sua loja. Ele diz que foi o melhor momento de suas férias.
O conjunto de Dan Colen, foi o mais difícil de completar
O conjunto de Dan Colen, foi o mais difícil de completar
Outras coleções que Ryan Fuller destaca, além da primeira e a única completa dos 20 anos de Skates Supreme, é o mítico conjunto do FBI, assinados pelos artistas KAWS ou Ryan McGuinness e também a exclusiva e favorita da Última Ceia de Jusus, de George Condo, com 3 modelos.

Leilão na Sotheby's por US$ 800 mil

O colecionador da Califórnia também relata que nos últimos tempos tomou isso como uma carreira. Ele sabia que havia mais 2 ou 3 colecionadores que estavam perto de completar a coleção Supreme. Mas conseguiu ser o primeiro. E então, decidiu expor e leiloar na Sotheby's.
A Sotheby's é uma casa de leilões, principalmente de obras de arte e colecionáveis, fundada no Reino Unido em 1744. A escola exibiu no início de 2019 a coleção de skates Supreme em sua galeria York Avenue, em Manhattan, para mais tarde leiloar.
Embora esperassem ultrapassar um milhão de euros, no final a coleção foi vendida por US$ 800 mil (cerca de US$ 3,2 mil por skate). O comprador foi uma família de colecionadores de Vancouver. E eles já sabem o que vão fazer com eles: uma exposição em 2020 para a abertura de uma loja.
Tudo isso parece uma verdadeira loucura ... mas todos somos loucos por alguma coisa. Na verdade, há coleções de skates muito maiores e seguramente de maior valor, mas como não foram vendidas, elas ainda não têm o privilégio de serem as mais caras da história!
Para saber mais sobre o tema, visite nossa página de skate.