Ronnie no Workshop de Performance do Red Bull BC One
© Scott Sinton / Red Bull Content Pool
Dança

10 dicas de como criar uma coreografia

Os segredos de como traduzir emoções em movimentos únicos
Escrito por Redação
6 min de leituraPublicado em
Criar um movimento do zero para englobar o sentimento, o ritmo e o tema de uma música exige imaginação e esforço, seja você um iniciante ou um profissional se preparando para uma grande apresentação. Coreografar vários dançarinos ao mesmo tempo também pode ser algo complicado. Mas se você seguir as dicas que separamos, com certeza o processo vai ficar muito mais fácil e prazeroso. Vem!

1. Estude a música

Conheça a fundo a música que você quer coreografar. Vá além de criar movimentos baseados no ritmo e na batida e estude a letra, a emoção e o significado por trás da canção. Isso vai ajudá-lo a encontrar inspiração nos sentimentos que surgirão quando você ler as palavras e assim será mais fácil abraçar a emoção que o artista colocou na composição. "A música é tudo para mim, porque a maneira como meu corpo se adapta e se move é por causa da maneira como a sinto", diz o dançarino de popping suíço Poppin 'C. Ao conhecer cada parte da nos mínimos detalhes, é possível criar movimentos de dança que realmente combinam com a batida e a letra.

2. Fique de olho nos profissionais

B-boy Junior dá um workshop de preparação no Red Bull BC One Camp em Mumbai
B-boy Junior dá um workshop de preparação no Red Bull BC One Camp em Mumbai
Reserve algum tempo para assistir musicais com muita dança, como "Chicago" e "Anything Goes", séries competitivas como "World of Dance" e até artistas de danças de rua, como Fab Girl, para buscar inspiração para seus movimentos. Observe os estilos, transições e combinações de movimentos e observe como dançarinos profissionais criam uma conexão física com a música. Isso pode ajudar a motivá-lo a criar danças que levem o público a se conectar com suas interpretações físicas da música.

3. Planeje de acordo com o público e o local

Onde você vai se apresentar? Pra quem? É importante pensar nisso para criar danças que estabeleçam uma maior conexão com o público. O lugar em que você está se apresentando também é importante, porque seu ambiente de dança pode ajudá-lo a encontrar maneiras de expressar emoções de forma criativa. A iluminação, o som e o ambiente geral do local podem ajudá-lo a criar danças que incorporem humor e emoção, por exemplo.

4. Pense em estilos de dança

Red Bull Dance Your Style USA
Kid David
Tente incorporar passos e movimentos de estilos específicos na sua coreografia. Você pode misturar passos de breaking em uma dança clássica para criar um estilo de dança exclusivo, por exemplo. Agora, se você ainda está começando a se aventurar pelo mundo das criações coreográficas, tente se concentrar em aprender como equilibrar um estilo específico de dança com sua interpretação única da música escolhida.

5. Foque nos elementos básicos

Concentre-se em um (ou vários) dos elementos mais básicos da dança: corpo, forma, espaço, tempo e energia. Você pode tentar criar com seu corpo desenhos baseados em uma forma específica da natureza, como um animal ou relevo. Também é importante usar ao máximo o espaço do palco para exibir energia explosiva e dar a certos aspectos da sua atuação um toque de emoção que mantenha o público envolvido o tempo todo.

6. Não comece do início

Está com dificuldades para começar uma coreografia? Comece a planejá-la do meio ou do final. É isso mesmo: pensar na história que você quer contar por meio dos seus movimentos antes de definir detalhes vai ajudá-lo a definir onde deseja chegar com suas ideias. Depois de esboçar a estrutura básica de sua coreografia, é hora de juntá-la em uma obra inteira.

7. Tente coreografar sem música

Dance em silêncio. Pode parecer uma ideia maluca, já que você está coreografando uma música específica, mas deixar seu corpo se mover e fluir livremente pode ajudá-lo a sair de sua zona de conforto e assim incorporar movimentos e passos de dança que você pode não ter pensado em combinar com uma determinada canção. Ao descobrir algo que gosta, abrace esse sentimento e tente ajustar o movimento que o causou à sua coreografia.
Poppin C exibe seus movimentos durante uma sessão de fotos em Lausanne
Poppin C exibe seus movimentos durante uma sessão de fotos em Lausanne

8. Abrace o pós-modernismo

Estudar as primeiras formas e estilos de dança moderna podem fazer sua imaginação fluir. Dançarinos de meados dos anos 50 (como Anna Halprin, uma das pioneiras da dança pós-moderna) incorporavam um mundo inteiro de movimentos não tradicionais em suas coreografias. Caminhada lenta, vocais e até mesmo gestos comuns podem trazer acréscimos criativos preciosos ao seu trabalho geral.

9. Incorpore os clássicos

Incorpore movimentos de balé clássico, passos de salão tradicionais ou elementos de outras danças clássicas ao seu estilo. Você pode encaixar um movimento de balé em algum momento de transição de uma dança de estilo livre, por exemplo. Combinar técnicas clássicas com seu design de dança vai deixar sua coreografia mais interessante e com certeza você vai surpreender o público!

10. Use outras formas de arte como inspiração

Não se concentre apenas na música e na dança. Observe todos os tipos de formas de arte, de pinturas bidimensionais a apresentações artísticas ao vivo. Observe as diferentes emoções e o uso de espaço e as formas que diferentes obras de arte incorporam e pense em suas interpretações e como você pode traduzir isso em movimento. Mantenha-se atualizado sobre as novas formas de arte para se inspirar e evitar o temido bloqueio criativo.

E finalizando...

Arlene Phillips CBE, coreógrafa e diretora teatral britânica, começou a dançar e a coreografar na década de 70. Desde então, já criou coreografias para uma variedade de apresentações, incluindo teatro ao vivo. Ela tem dicas práticas que com certeza vão te ajudar na hora de criar a sua coreografia:
  • Conte a história da música por meio de seus movimentos
  • Continue praticando com passos criativos
  • Esteja determinado a aprender com seus erros
  • Desafie-se com ritmos, estilos e técnicas específicas
  • Continue praticando suas técnicas de coreografia
  • Não tenha medo de aprender algo novo
Uma das coisas mais importantes ao se coreografar uma dança é abraçar a diversidade. Não tenha medo de fazer algo diferente ou fora do normal. Experimente incorporar novos estilos ou etapas para tornar sua dança inovadora e estude todos os tipos de arte para sempre se encantar com seu trabalho. Quanto mais você se desafia a pensar fora da caixa, mais criativa e única sua coreografia pode ser.
Baixe agora o app da Red Bull TV e tenha acesso a vídeos, filmes e séries!