Max Verstappen no primeiro dia de testes no Bahrein
© Getty Images / Red Bull Content Pool
F1

Adivinha quem voltou à briga pelo título da Fórmula 1

Red Bull Racing se prepara pra acabar com o domínio da Mercedes
Escrito por Gabriel Curty
Publicado em
Parte desta história

Open The Doors

20 min
Assistir ao Filme
Depois dos três dias de treinos coletivos no Bahrein, a gente já pode comemorar: a Fórmula 1 está de volta. E voltou como? Com a Red Bull Racing mostrando que chegou, sim, pra brigar com a Mercedes, dona da coisa toda desde 2014. Calma que a explicação vem a seguir.
A equipe alemã ganhou os 14 títulos em disputa nos últimos sete anos: sete de pilotos e sete de construtores. Essa hegemonia teve início com o atual regulamento, que estreou em 2014. Pois este será o último ano destas regras, ano que vem a mudança vai ser radical. Era de se esperar então que o domínio seguisse, certo? Mas Sergio Pérez e Max Verstappen, nos três dias de treinos no Bahrein, deram sinais claros de que pode até rolar uma inversão de forças no topo da categoria.
Max Verstappen foi dono da volta mais rápida da pré-temporada
Max Verstappen foi dono da volta mais rápida da pré-temporada
O primeiro sinal é o mais óbvio: Verstappen fez a volta mais rápida dos três dias de testes coletivos, virando 1min28s960 sem precisar forçar muito e nem usar os pneus mais rápidos disponíveis naquele momento. Pra efeito de comparação, o holandês foi mais de 1s mais rápido que o quinto colocado, Lewis Hamilton, grande estrela da Mercedes campeão de seis dos últimos sete campeonatos.
Outro ponto a favor foi a quilometragem. Pela primeira vez em muito tempo, a Mercedes teve uma pré-temporada repleta de problemas de confiabilidade e, por isso, deu apenas 304 voltas, a pior marca entre as dez equipes. A Red Bull Racing completou 369, mas deu a nítida impressão de que poderia ter feito mais se quisesse.
Sergio Pérez: talento e experiência para fazer uma ótima temporada
Sergio Pérez: talento e experiência para fazer uma ótima temporada
A chegada de Pérez ao time também não pode ser descartada. O mexicano tem talento e experiência pra ajudar Verstappen na missão que parecia quase impossível: bater a rival alemã. Checo vai roubar pontos de Hamilton e de Valtteri Bottas e ainda vai abrir um leque de possibilidades nas estratégias, já que é reconhecidamente um especialista em cuidar do desgaste dos pneus.
Por fim, mas não menos importante: o comportamento dos carros no Bahrein. O RB16B parece ter menos cara de Verstappen, de modo que é menos arisco, mais fácil de domar. A Mercedes, que tinha essas características até 2020, ao menos inicia a temporada do avesso, sofrendo com o novo assoalho imposto pela sutil mudança de regulamento pra 2021 e vendo o reflexo disso nos erros incomuns que Hamilton cometeu nos testes. E as duas equipes já estão entendendo que o cenário parece propenso a surpresas.
Depois dos três dias de treinos, quando a conta chegou na mesa, quem definiu a situação foi Andrew Shovlin, diretor de engenharia da Mercedes: "Dá para notar, nas informações que colhemos, que não somos tão rápidos quanto a Red Bull Racing em ritmo de corrida", falou Andrew.
“Nós queríamos um carro rápido e previsível. O carro não é moldado pro Max, ele também é adaptado pro Pérez também. Estamos satisfeitos. Tudo funcionou logo de cara. É muito bom ver que todo trabalho valeu a pena. O objetivo é sermos competitivos desde o começo”, disse Helmut Marko, consultor da Red Bull Racing, ao canal alemão RTL.

E a Scuderia AlphaTauri?

Enquanto a Red Bull Racing parte pro início do campeonato em condições de desafiar a favorita Mercedes pelo título, a Scuderia AlphaTauri parece ter sido a que mais evoluiu no pelotão do meio. Em uma disputa que deve ser acirrada com McLaren, Alpine, Aston Martin e até Ferrari, o time conduzido por Pierre Gasly e Yuki Tsunoda ganhou terreno.
Yuki Tsunoda durante dia de filmagens em Ímola, na Itália
Yuki Tsunoda durante dia de filmagens em Ímola, na Itália
Tsunoda fez o segundo melhor tempo dos três dias e Pierre foi quem mais andou. Isso indica que o carro tem consistência e velocidade. Internamente, são diversas peças compartilhadas com a Red Bull Racing, mas o projeto aerodinâmico da Scuderia AlphaTauri tem personalidade própria e linhas que o diferenciam da equipe-irmã.
Se 2020 foi bom para o time italiano, com uma vitória histórica de Gasly em Monza, 2021 tende a ser ainda melhor, com performance mais sólida e um carro que deve fazer a equipe deixar o fundo do pelotão intermediário e brigar, de fato, pelo top 3 da F1. As respostas começam a ser dadas de 26 a 28 de março, os três dias do GP do Bahrein, que abrirá a temporada.
+ Assista abaixo à trajetória da Scuderia AlphaTauri desde a apresentação do primeiro carro até a estreia da equipe.
F1 · 20 min
Open The Doors
Baixe agora o app da Red Bull TV e tenha acesso a vídeos, filmes e séries!
Parte desta história

Open The Doors

20 min
Assistir ao Filme