Wingsuit14 min

Assista a este voo inédito de wingsuit pelos céus da África do Sul

Escrito por Jazz Kuschke
Os membros da Força Aérea Red Bull - Mike Swanson, Miles Daisher e Jon DeVore - sobrevoam a cadeia de montanhas de Drakensberg numa missão quase impossível.
Conhecida por suas escarpas pontiagudas, picos altíssimos e vales majestosos, além de sua importância para as diversas espécies endêmicas da região, Drakensberg ultrapassa o conceito de uma simples cadeia de montanhas sul-africana: ela é considerada um Patrimônio Natural da Humanidade pela UNESCO. Hoje, você poderá contemplar o primeiro sobrevoo de wingsuit na História realizado nesta paisagem icônica.
Assista ao projeto 'Barrier of Spears' no player acima
Drakensberg, na África do Sul, no dia 12 de dezembro de 2018
A beleza de Drakensberg
"Nós adoramos poder mostrar às pessoas locais realmente únicos e incríveis ao redor do mundo através de uma perspectiva nunca antes vista", comenta Jon DeVore que, ao lado dos outros membros da Red Bull Air Force, Mike Swanson e Miles Daisher foram recentemente à África do Sul para realizar um voo de wingsuit sobre Drakensberg e conhecer alguns picos nunca antes visitados.
"Muitas pessoas já viram imagens da região de Drakensberg, mas a maioria delas nunca a observou através dos olhos de um pássaro", complementa Jon.
Membros da Força Aérea Red Bull, Mike Swanson e Miles Daisher analisam o mapa da região de Drankensberg
As montanhas parecem tão pequenas num mapa 2D
Drakensberg, com seus picos de basalto, pináculos dramáticos e formações rochosas de cair o queixo faz parte da Grande Escarpa Oriental da África do Sul. Trata-se da porção de terra mais conhecida do país.
Tudo aquilo que forma o Patrimônio Natural Transfronteiriço de Maloti Drakensberg era chamado de "uKhahlamba" pela Nação Zulu séculos atrás – assim mesmo, com K maiúsculo, que significa literalmente "barreira das lanças", o nome oficial deste projeto em inglês (Barrier of Spears). Já para os colonizadores holandeses do século 19, esta barreira intransponível se parecia com as costas de um dragão e por isso a batizaram de Drakensberge – do antigo holandês Draken (dragão) e Berge (montanha).
Membros da Força Aérea Red Bull, Mike Swanson e Miles Daisher nas montanhas de Drakensberg
Drakensberg faz parte da Grande Escarpa Oriental da África do Sul
Esta cadeia de montanhas cheias de emoção vem atraindo aventureiros de plantão e atletas profissionais há anos. Desde escaladores, corredores e montanhistas, a área oferece possibilidades ilimitadas em suas escarpas, perfeita para testar o limite de qualquer um que queira se aventurar no local.
A equipe – que também incluía o piloto Julian Boulle e o extraordinário guia de montanha Gloei Cilliers, ambos sul-africanos – planejou ter um gostinho do que aquele lugar tinha a lhes oferecer. O objetivo final era voar de wingsuit pela região de Eastern Buttress, a mais de 3.000 metros acima do nível do mar, com um paredão de rocha vertical que desemboca num emaranhado de vales repletos de rios.
A agenda, no entanto, estava apertada e a janela do tempo particularmente imprevisível para aquela área montanhosa.
Em relação a isso, Jon comenta: "Passa muita coisa pela nossa cabeça quando temos que encarar um tempo ruim. Depois de planejar durante meses e viajar mais de 27 horas, as expectativas são altas e todo mundo está bem empolgado que 'finalmente está acontecendo'".
"Mas aí bate a realidade e você percebe que todo esse esforço realizado talvez tenha sido em vão, que vamos sentar e esperar a chuva passar durante uma semana e ficarmos todos mofados. É algo, no entanto, que se tem que ter em mente. Sempre que você planejar algo nas montanhas, esteja preparado para sentar e esperar!".
A sorte parece favorecer os mais pacientes e a equipe conseguiu aquela janela que tanto precisavam. O bom tempo se fez e eles conseguiram realizar os saltos que tanto sonharam.
"Tem aquele momento no qual você está pronto para saltar do penhasco. E é nesse momento que tudo fica mais devagar e a calma te invade. Você é basicamente forçado a entrar nesse estado mental. Você percebe tudo o que está ao seu redor, desde um insetinho colorido até as cores das rochas sobre as quais está voando. É liberdade pura", comenta Jon DeVore.
Mas aí, eis que surge outro pico mais adiante... De acordo com Jon: "A gente mal conseguia se controlar no helicóptero, tamanha emoção. Todo lugar que a gente olhava parecia um lugar incrível para saltar. Tudo o que nós podemos dizer é que certamente iremos voltar".