Skate

Bob Burnquist é 'a peça-chave do quebra-cabeça do skate'

© Fabio Bitão
Recordista dos X Games, o brasileiro que ignorou os limites do skate
Escrito por Marcos HiroshiPublicado em
São raras as unanimidades no skate. Mas Bob Burnquist é uma delas. Com habilidades excepcionais na base trocada, o brasileiro conquistou uma vitória épica no Slam City Jam, o Mundial disputado no Canadá em 1995, deixando o mundo chocado com um skate inédito, que colocou o Brasil de vez entre as potências da modalidade.
Bob Burnquist comemora a medalha de ouro nos X Games
Bob Burnquist comemora a medalha de ouro nos X Games
Após a vitória no Canadá, Bob partiu para os EUA em busca de novas conquistas, que não demoraram a chegar. Novos patrocínios, entrevistas na mídia especializada e a conquista de títulos relevantes renderam a ele em 1997 o cobiçado título de Skatista do Ano pela conceituada revista "Thrasher". É o único brasileiro na história a alcançar esse reconhecimento, sonhado por todo skatista.
Carioca de nascimento e paulista de criação, Robert Dean Silva Burnquist ainda tinha muitos sonhos a realizar, e seguiu construindo seu próprio caminho, sempre buscando coisas novas e inovadoras.
O skatista mais inovador da história levou skate na megarrampa a um novo patamar.
Bob Burnquist - Backflip
Com o surgimento da megarrampa, enxergou ali a oportunidade de levar seu skate a um novo e mais alto (literalmente) patamar. E foi aí que inventou novas manobras, criou obstáculos inéditos e mostrou ao mundo um skate nunca antes imaginado.
Bob é uma peça-chave do skate mundial. Sem ele, o quebra-cabeça estaria incompleto
Danny Way, ícone do skate e criador da megarrampa
Bob Burnquist e sua coleção imbatível nos X Games
Bob Burnquist e sua coleção imbatível nos X Games
Com a criação dos X Games, o brasileiro ganhou uma projeção internacional, fazendo história na maior competição dos esportes de ação. É o maior medalhista e participou de todas as edições de 1995 até 2015, ano em que deixou os jogos, se despedindo com 30 pódios, sendo 14 ouros, 8 pratas e 8 bronzes.
Além de deixar sua marca pra sempre nas competições, Bob também realizou feitos até então inimagináveis, como andar em um corrimão caindo direto no Grand Canyon [veja o GIF abaixo], misturando skate e base jump, criou manobras como o Burn Twist, realizou um looping em um full pipe natural, completou um looping de switchstance, e muitos outros feitos. Tá bom pra você?
Um grande embaixador do skate brasileiro, ele também fez história nos bastidores, quando assumiu em 2017 a presidência da Confederação Brasileira de Skate (CBSk), para ajudar a colocar a casa em ordem com a aguardada confirmação da estreia do skate no maior evento esportivo do mundo, em Tóquio.
"A gente tem uma identidade e uma força maior que muitos esportes com mais recursos que a gente. Então, vamos entrar, vamos fazer acontecer e vamos montar uma equipe para poder chegar neste ponto", disse Bob no dia da posse.
Ele será reconhecido como um dos skatistas mais influentes da história
Tony Hawk
Sandro Dias é o diretor de esportes da entidade.
Sandro Dias e Bob Burnquist juntos na CBSk
Em 2019, Bob deixou o cargo: "Como presidente da CBSk, tive que entender sobre gestão esportiva, isso tomou o meu tempo e acabei andando menos de skate. Morro de saudades e continuo desejando aprender manobras novas", disse à época.
A lenda do skate, nascida em 1976, continua andando muito e agora tem mais tempo para se dedicar ao Instituto Bob Burnquist, que tem o objetivo de promover inclusão social em todo o Brasil.
Alguns skatistas tomam um caminho totalmente diferente. Esses são os grandes, e Bob é um deles
Lance Mountain, lenda do skate
Baixe o app da Red Bull TV e tenha acesso a todos os nossos vídeos! Disponível na App Store e na Play Store.