Fashion

A tribo global de Katty Xiomara

© Paulo Próspero
Conversámos com uma das designers nacionais mais conceituadas, Katty Xiomara, mesmo a seguir à apresentação da nova colecção no Portugal Fashion.
Escrito por Equipa redbull.ptPublicado a
As tribos urbanas são na verdade a vertente social que faz a moda florescer, o conteúdo sociocultural de todas elas é extremamente rico e o seu enquadramento temporal ajuda a entender muito do que hoje somos.
Katty Xiomara
Katty Xiomara faz parte da família Portugal Fashion desde o início. Esteve nesta 41.ª edição da semana onde se conhecem as tendências e criações contemporâneas dos designers nacionais, e não só, de novos talentos e criadores das escolas de moda também.
O Portugal Fashion tem uma relação umbilical com a ANJE – Associação Nacional de Jovens Empresários – que, à semelhança dos programas Compete 2020 e Portugal 2020 defende o “inegável valor na promoção do sector da moda nacional por diferentes geografias mundiais”. O pulsar da competitividade nacional e reforço da presença no mercado internacional são objectivos destes programas dos quais o Portugal Fashion também faz parte. É por isso claro o caminho e o esforço em continuar colocar a criação nacional no centro do mundo.
São quase 20 anos a criar intervenções na área de moda, Teatro, Música, Artes Gráficas, entre muitas outras áreas. Katty Xiomara tem um lugar inabalável na história nacional – e o reconhecimento de Excelência de Indústria Criativas em 2012 com a visita do, na altura, Presidente da República, Professor Aníbal Cavaco Silva.
A luso-venezuelana tem bem claro que é “designer de moda e não artista”. E a verdade é que tem um traço aspiracional, intemporal, elegante e sofisticado ao mesmo tempo que não deixa de ser acessível, divertido e feminino.
Katty Xiomara representa Moda, mas as expressões recorrentes em áreas como Música, Design gráfico, Teatro – e até o desenho do guarda-roupa para uma adaptação da peça “A Divina Comédia” de Dante* –, mostram uma versatilidade singular. Há algum projecto que tenha influenciado directamente uma colecção?
Directamente talvez não, mas indirectamente tudo aquilo que faço acaba por influenciar as colecções.
Tenho noção que sou designer de moda e não artista, mas gosto de expressar-me através de outras áreas criativas. Talvez não seja versatilidade, mas sim uma grande curiosidade e vontade de experimentar. Penso que todas as áreas criativas são transversais, contudo, a forma em que são integradas faz toda a diferença.
*Centro Cultural de Belém, 2000
Talvez não seja versatilidade, mas sim uma grande curiosidade e vontade de experimentar.
Katty Xiomara
Nova Iorque, Berlim, Paris, Tóquio, Barcelona, entre muitos outros. Agora, a internacionalização está inerente à marca Katty Xiomara. Pode-se dizer que este processo de internacionalização também começou com o Portugal Fashion. Como foi viver esses primeiros passos?
Sim, começou com um desfile no Portugal Fashion Paris, que resultou num convite para participar numa das feiras de vestuário mais conceituadas em Berlim, “Bread and Butter”. Pode dizer-se que este foi o início de um percurso internacional, que se consolidou com as seguintes participações nesta e outras feiras internacionais, aqui graças ao apoio da Associação Seletiva Moda.
Aliás, no ano passado esteve na semana de moda de Nova Iorque, com o apoio do Portugal Fashion. Apresentou a colecção “Corrente de Agulhas”, inspirada no conceito marítimo dos Descobrimentos. Como foi esta experiência?
Mostrar o trabalho na NYFW é uma experiência fantástica, mas não é algo assim tão recente, apresento a coleção na NYFW desde 2014, embora nesta altura a título individual, numa plataforma dedicada a designers independentes. Desde setembro de 2016 faço-o com o apoio do Portugal Fashion. Com eles apresentei a coleção de verão 2017, inverno 2017/18 e em Setembro deste ano, a colecção de Verão 2018.
A colecção de Verão 2017 “Corrente das Agulhas” tinha como mote de inspiração o universo marítimo - as criaturas míticas e não míticas do mar. Aqui no Porto, foi apresentada no novo Terminal de Cruzeiros tendo como pano de fundo o mar.
A colecção de inverno 2017/18 tinha como mote de inspiração uma história de amor platónica, que relembro de uma música antiga “El Toro enamorado de la Luna” e no Porto foi apresentada no Centro Português de Fotografia – antiga Cadeia da Relação.
Esta nova colecção de verão 2018 “Parachute Trip” nasce no conceito Art Deco, explorando essencialmente a interpretação desta escola artística na década de 50 em Miami, através de uma inusitada viagem de paraquedas. Foi apresentada no Porto no antigo Matadouro, tendo como pano de fundo um mural de 60 metros pintado por 14 artistas urbanos que aceitaram o convite e se inspiraram nesta Miami em festa, plasmando o conceito e as cores da colecção nas Paredes do Matadouro.
O mais interessante é que é um fenómeno que não pára de evoluir, cada geração nos traz novas formas de expressão, novos grupos, novos conceitos, novas atitudes.
Katty Xiomara
Os fenómenos sociais das tribos, de consumidores, têm na moda uma expressão máxima. Este também é um dos temas da formação que dá na Modatex, no Porto, assim como Street Wear e Culturas Suburbanas. Esta partilha de conhecimento é mais uma extensão – da criatividade – de Katty Xiomara?
Eu penso que quando partilhamos conhecimento recebemos tanto quanto damos. As tribos urbanas são na verdade a vertente social que faz a moda florescer, o conteúdo sociocultural de todas elas é extremamente rico e o seu enquadramento temporal ajuda a entender muito do que hoje somos. O mais interessante é que é um fenómeno que não para de evoluir, cada geração nos traz novas formas de expressão, novos grupos, novos conceitos, novas atitudes.
O programa de novos talentos do Portugal Fashion, Bloom, é também uma plataforma de inovação nacional. E, actualmente é quase uma certeza que o pensamento global faz parte das colecções dos jovens criadores. Destaca algum novo criador ou tendência nacional do que tem sido apresentado?
A plataforma Bloom é um óptimo ponto de partida, que é necessário e imprescindível. Muitos jovens criadores tem conseguido catapultar o nome através desta dinâmica – Hugo Costa, Inês Torcato e muitos outros.
São quase 20 anos a marcar presença nos certames de Moda nacionais. Alguma novidade ou evento especial preparado para o aniversário no próximo ano?
Não tinha pensado nisso, o meu raciocínio inicia a contagem do percurso a partir do momento de criação da marca e dos primeiros passos comerciais e não a partir do primeiro desfile… Por isso nada pensado, nada programado…
Eu penso que quando partilhamos conhecimento recebemos tanto quanto damos.
Katty Xiomara
Katty Xiomara | Portugal Fashion '17
Katty Xiomara | Portugal Fashion '17