Não há nada melhor do que isto
© Eric Vargiolu / DPPI / Red Bull Content Pool
Rally Raid

O Rally Dakar é uma corrida de lendas - aqui estão as melhores

Com quatro décadas, o Rally Dakar já nos deu tantas histórias como podes imaginar - e também algumas que nem sonhas. Vê aqui algumas delas.
Escrito por Josh Sampiero, adaptado por Equipa Redbull.pt
4 min readPublicado a
Ao contrário de muitos outros eventos, o Rally Dakar não teve um começo humilde - de facto, sem grande surpresa, foi logo épico desde o arranque.
Tudo começou quando um francês se perdeu em pleno deserto e divertiu-se tanto que quis ver outras pessoas a experienciarem o mesmo. E era tão bom a vender essa ideia que apareceram quase 400 pessoas no dia a seguir ao Natal em 1978, para começar a viagem de Paris a Dakar, a capital do Senegal - 6,000kms (incluindo um caudal de água significativo) de distância.
Ao longo dos anos, a lenda que é este evento cresceu - e também as lendas que surgiram dele. Tanto as pessoas como as histórias. Ficam aqui algumas das nossas favoritas.

Compra uma mota, arranja um 'patrocínio'

Nos primórdios do Dakar, as equipas de fábrica não eram presença comum - era mais para amadores. Mas a Yamaha antecipou-se e fez uma oferta impossível de recusar: compras uma das suas motas e eles fazem-te o serviço do evento. Era um belo negócio - manter o teu veículo a andar é uma das partes mais difíceis do rally de cross-country. Dezenas inscreveram-se. Muitos deles conseguiram chegar ao fim.

Quando o filho da Primeira Ministra se perdeu

Mark Thatcher, filho da antiga Primeira Ministra do Reino Unido Margaret Thatcher, participou no evento - e logo no começo perdeu-se durante quatro dias no deserto. Margaret Thatcher puxou os cordelinhos, ligou a altas figuras e o filho foi miraculosamente encontrado. O que aconteceu de mal? Quando se perderam, alguém disse que eles foram vistos a 10kms numa direção, quando na verdade eram 10kms no sentido oposto.

A primeira grande tempestade de areia

Hoje em dia, uma tempestade de areia durante o Dakar significa algumas horas perdidas - no máximo um dia. Mas em 1983, na primeira vez que a prova entrou na região de Ténéré, no deserto do Sahara, uma tempestade de areia colocou alguns pilotos com atraso de quatro dias. Assim que a história chegou aos ouvidos da Europa, adensou ainda mais o mistério e encanto desta aventura motorizada no deserto.
Cyril Despres
Cyril Despres

Quando o rally ficou sem combustível

Em 2005, uma etapa especial teve a curiosidade de levar os pilotos pela areia mais suave que o rally já tinha visto - tão suave que muitas motas estavam a queimar o combustível demasiado rápido para chegar à meta. Foi exatamente o que aconteceu com muitos carros e camiões, tanto que no fim montaram acampamento no meio do deserto e pernoitaram por lá, com a etapa suspensa. "Estávamos limitados a 20 litros de combustível, mas com 20 não conseguimos - a areia é demasiado suave. Estamos no quilómetro 400, ainda há mais 260kms para andar e estamos a consumir 50L a cada 100kms. Então não vamos até ao fim", disse Cyril Despres no momento.
Imagem do Rally Dakar 2010 de Nasser Al-Attiyah a conduzir um VW.
O Volkswagen de Nasser Al-Attiyah em 2011

O duelo mais épico de sempre: Nasser e Sainz em 2011

2011 foi o ano do duelo mais épico de sempre no Dakar. Os protagonistas? Nasser Al-Attiyah e Carlos Sainz. No rally de cross-country, os carros arrancam entre cada três a cinco minutos, o que faz com que uma corrida frente a frente seja raro. Mas na Etapa 11 desse Dakar, Sainz e Nasser foram lado a lado por uns bons 5kms. Com ambos a terem fama de acelerar a todo o gás, foi uma maravilha de ver. Nasser saiu com a vitória na etapa e, por conseguinte, no rally.
Uma imagem de Stéphane Peterhansel, 14 vezes campeão do Dakar.
Stéphane Peterhansel, 14 vezes campeão do Dakar

Ganhar sem ganhar: Stéphane Peterhansel no Dakar 2007

Resistência e estratégia: são estes os pontos principais para triunfar no Dakar. A velocidade é recompensada, mas ainda mais é a consistência - bem o pode dizer o 'Sr. Dakar', Stéphane Peterhansel, vencedor da competição em 14 vezes. Rápido, mas não rápido demais, o piloto conseguiu a proeza de vencer o Dakar 2011 sem ganhar qualquer etapa. Ou seja, não foi o mais rápido em nenhum dia do rally - mas a consistência fez com que levasse o troféu para casa.

As lendárias histórias de 2022: ainda a serem escritas!

A meio do Dakar 2022, algumas coisas são certas: as etapas não são tão terrivelmente longas como já foram, mas a navegação está mais difícil do que nunca.
A liderar nos carros está Nasser Al-Attiyah e nas motas tem sido uma luta intensa, mas neste momento Matthias Walkner vai na frente, com Sam Sunderland a morder-lhe os calcanhares e Kevin Benavides por perto.
As histórias que se tornarão lendas ainda estão a ser escritas. Desde a incrível dificuldade na navegação da Etapa 1 até ao frente a frente entre Sébastien Loeb e Al-Attiyah na quarta etapa, não tem faltado drama.
Mas apenas vamos precisar da história completa quando o evento acabar. Até lá podes acompanhar diariamente os melhores momentos de todas as etapas na Red Bull TV.